Arrancaram obras no pórtico de portagem da A29
banner AEG728x90
Versão para impressão
PDF

Arrancaram obras no pórtico de portagem da A29

on .

diggdiggfacebookfacebooktwittertwitter

obras-a29

Arrancaram obras da via para contornar pórtico de portagem da A29

A Câmara de Gaia deu esta terça-feira início à construção da via alternativa ao pórtico de portagem da A29, em Gulpilhares, orçada em 117 mil euros e com previsão de conclusão até ao final do ano.

Segundo nota divulgada esta terça-feira pela autarquia, foi dado "início dos trabalhos de ligação da Rua da Ameixoeiras à Avenida Combatentes do Ultramar Português que constituirá a alternativa ao pórtico da A29 na freguesia de Gulpilhares".

Em agosto a autarquia divulgou que o processo estava em fase final de adjudicação à empresa Edilages e que o prazo de execução seria de 90 dias.

Depois do impacto dos pórticos no concelho, que o presidente da autarquia classificou de "miserável" por obrigar moradores a recorrer a artérias secundárias, será possível até ao final do ano chegar às freguesias mais a sul do concelho sem ter de pagar portagem.

Quase seis anos após a introdução de pórticos nas antigas SCUT (sem custos para o utilizador), que em Gulpilhares cobra taxas entre os 0,45 euros e 1,10 euros, será construído um desvio que une a EN109 à entrada da Rua das Ameixoeira e à via rápida.

"Aquando da construção da A29, foi cortada a EN 109, na proximidade da Rua das Ameixoeiras, deixando de existir alternativa condigna à autoestrada e, consecutivamente, ao pagamento de portagens nesta via para os moradores locais", explicou a câmara em maio.

Já durante a campanha para as autárquicas em 2013, o presidente da câmara, Eduardo Vítor Rodrigues, propôs a criação da alternativa viária à antiga SCUT que em 2010, e apesar dos muitos protestos, passou a contar com portagens.

O anterior autarca, o social-democrata Luís Filipe Menezes, chegou a pedir ao então ministro das Obras Públicas que deslocasse o pórtico para sul a fim de "devolver a necessária paz e tranquilidade dos residentes".

Fonte: jornal noticias